FONTE DE ALIMENTAÇÃO (LINEAR X CHAVEADA)

Há alguns anos, o concerto de fonte de alimentação dos televisores fazia parte da rotina de qualquer técnico. Com a chegada das fontes chaveadas, houve uma redução de tamanho, peso e, consequentemente, uma redução no custo. Com o surgimento das fontes de alimentação chaveadas, foi possível o aumento do rendimento, em relação às fontes lineares, e uma sensível diminuição de manutenções nas fontes dos equipamentos eletrônicos.

FONTE LINEAR

A fonte linear é a que opera com a frequência da rede elétrica (60Hz ou 50Hz). Nesse tipo de fonte temos basicamente quatro blocos: transformador, etapa retificadora, filtragem e circuito de controle.

Nota:

O TRANSFORMADOR – transforma a tensão alternada da rede ao nível correto de tensão alternada que se deseja.
A RETIFICAÇÃO – é constituída por dois ou quatro diodos, que transformam a tensão alternada do secundário do transformador em uma tensão contínua ondulada (com ripple).
O FILTRO – é constituído basicamente por capacitores e indutores. Esses, por sua vez, retiram as últimas ondulações (ripple) que ainda possam existir sobre a tensão contínua, tornando-a mais pura.
O CIRCUITO DE CONTROLE – mantém a tensão de saída constante e estabilizada, mesmo quando há variações na tensão alternada da entrada ou da rede.

FONTE CHAVEADA

No caso das fontes de alimentação chaveadas, as utilizações de um transformador de alta frequência permitem reduzir o tamanho e o peso das fontes chaveadas. Essas fontes utilizam transistores especiais (FETs), como interruptores eletrônicos de alta comutação, que diminuem as perdas e aumentam o rendimento total das fontes. Dessa forma, a potência controlada pela fonte fica maior.

As fontes chaveadas podem dissipar potências maiores, utilizando componentes de menores dimensões em relação à fonte linear, e trabalham com modulação de pulso, alterando a frequência da rede para uma faixa entre 20 e 60kHz. Com essa nova frequência, os principais componentes (transformador e capacitor de filtro) podem ser empregados em tamanho reduzido. Isso acontece porque, em alta frequência, o fenômeno de indução eletromagnética ocorre com maior facilidade, permitindo que o transformador seja construído com núcleo de ferrite (mais leve que o convencional de aço-silício) e menor tamanho. Ao mesmo tempo, o ripple também diminui, o que permite a utilização de capacitores de filtros também menores.

As fontes chaveadas são mais complexas e, portanto, exigem maiores cuidados na prevenção de interferência eletromagnética (EMI). Para um nível cada vez menor de potência, as vantagens das fontes chaveadas ultrapassam as desvantagens.

tabela1

38 comentários para “FONTE DE ALIMENTAÇÃO (LINEAR X CHAVEADA)”

  1. avatar Rubens disse:

    Oi, eu pedi o curso de eletronica em duas vezes e gostaria de saber se nele será abordado o conserto de dvd e tvs de plasma?
    Gostaria de saber também quanto tempo em média leva para eu receber a primeira remessa, sendo que eu paguei a primeira parcela no dia 21/05/2010, sexta-feira. eu serei avisado por e-mail pelo IPR da chegada do curso no correio?

    Desde já, Obrigado

    Rubens
    29/05/2010

  2. avatar Hóstio de farias disse:

    Gostei muito, deste anúncio pois sou aficcionado por Eletrônica e dou Manutenção em fontes de computadores, AT e ATX como encontro dificuldades em encontrar componentes em minha região sou obrigado a comprar fontes queimadas para manter estoque de componentes…

  3. avatar Departamento Técnico disse:

    Prezado Amigo Rubens,

    Normalmente o prazo de entrega do material varia de 7 a 15 dias, dependendo da região onde se localiza a sua residência.

    A Agência dos Correios responsável pela entrega, de posse do material do IPR, envia ao aluno um aviso de chegada, informando que o referido material já se encontra à sua disposição e solicita o comparecimento do destinatário para que efetue sua retirada, dentro de um prazo máximo de quinze dias. Passado esse período o material é devolvido ao IPR.

    Quanto à manutenção de DVD e TV de Plasma, embora estes assuntos não estejam incluídos dentro do conteúdo programático do curso de Radiotécnico, certamente nossa equipe de professores do Departamento Técnico Pedagógico, terá o máximo prazer em esclarecê-los durante o desenvolvimento do curso, através de consultas realizadas por carta ou e-mail, permitindo-nos manter um contato permanente durante o seu aprendizado.

    Um abraço, e conte sempre com o Instituto Padre Reus.

    Prof. Mario Limeira
    Coordenador do Departamento Técnico

  4. avatar edi carlos da silva disse:

    Olá pessoal,

    Também sou o mais novo estudante desse curso. Meu principal foco é computadores e seu componentes. Mas adoro a tecnologia como um todo gostaria de deixar meu e-mail se um dia alguém quiser compartilhar idéias. Sinta-se a vontade. edi_csilva@hotmail.com

  5. avatar RAIMUNDO DA CONCEIÇÃO DINIZ disse:

    BOA NOITE GOSTEI DO SITE NA CATEGORIA ELETRONICA OBRIGADO. SERIA BASTANTE INTERSSANTE SE HOVESSE MAIS INFORMAÇÕES RELACIONADAS AOS TOPICOS QUE FORAM ABORDADOS

  6. avatar SERGIO disse:

    QUANDO SAIRA O CURSO DE TVS DE LED E O DE PLASMA E LCD E OTIMO ESTOU NO AGUARDO

  7. avatar matheus. disse:

    oi, gostaria de saber como descarrego os capacitores da fonte para poder efetuar os testes com um multimetro analogico?

  8. avatar sergio disse:

    o descarregamento do capacitor eletrolitico da fonte e feita da seguinte forma pegue um resistor de 1 k os grandao exemplo encoste num terminal ao outro curto circuitando as placas internas do capacitor a outra forma e pegar um ferro de solda de seu uso e encostalo nos terminais dele sou formado pela ipr ja trabalho na area

  9. avatar Departamento Técnico disse:

    Prezado Matheus.

    Respondendo sua dúvida postada em nosso Blog, sobre como descarregar um capacitor, é importante salientar que tal procedimento merece alguns cuidados por parte do técnico.

    Em primeiro lugar quero parabenizar o amigo Sérgio pela sua contribuição postada em nosso blog. Realmente a descarga de um capacitor eletrolítico poderá ser realizada através de um resistor de 1 kΩ com dissipação de potência não inferior a 7 watts, que deverá ser colocado entre seus terminais. É importante também que o aparelho esteja desconectado da rede elétrica.

    Outro método, também bastante utilizado nas oficinas, é o descrito a seguir:

    Com uma lâmpada de 50 watts colocada em um suporte com dois fios ligados aos seus terminais, encoste um dos fios no polo positivo do capacitor e o outro no polo negativo, fazendo-o descarregar. Observe que a lâmpada dará uma rápida piscada, cuja intensidade do brilho varia conforme o valor do capacitor. De maneira alguma tente descarregar um capacitor curto-circuitando seus terminais com qualquer tipo de material metálico (chave de fenda, ferro de solda, etc), pois a tensão armazenada entre suas placas poderá danificar componentes sensíveis ligados ao capacitor.

    Um abraço, e conte sempre com o Instituto Padre Reus.
    Prof. Mario Limeira
    Coordenador do Departamento Técnico

  10. avatar Marcos Aurélio Santos disse:

    Preciso montar uma fonte Linear para alimentar um módulo A 800. Quais os componetes necessários? poderiam listá-los prá mim? se poderem enviar o diagrama também, ficaria grato.

  11. avatar Departamento Técnico disse:

    Prezado Marcos,

    Referente ao projeto de fonte Linear para alimentar um amplificador de potência, infelizmente não podemos enviá-lo por alguns motivos:

    devido ao elevado valor de corrente no estágio de saída em consequência da alta potência da unidade amplificadora, o projeto da fonte necessita de cálculos específicos de um Engenheiro responsável para determinar os componentes certos;

    se o seu projeto não estiver de acordo com as características exigidas pelo amplificador, poderá causar a queima do módulo de potencia;

    e, principalmente, porque montar uma fonte em casa ou na sua oficina terá um custo bem maior do que se a mesma for comprada pronta no comércio desse tipo de produto.

    Um abraço, e conte sempre com o Instituto Padre Reus.

    Prof. Mario Limeira
    Coordenador do Departamento Técnico

  12. avatar Diego da costa dos santos disse:

    Estou adorando este curso de radio eletrônica este e muito bom mesmo!

  13. avatar Wenel Antonio Ferreira disse:

    estou interessado em fazer o curso radiotecnico e eletronica e gostaria de estar recebendo constantemente novas informaçoes no que diz respeito a este curso. Obrigado.

  14. avatar Departamento Técnico disse:

    Prezado Wenel,

    Nos dias atuais o conceito de ensino vem se ampliando de forma a englobar os conhecimentos técnicos tanto teóricos como práticos. Para entrarmos no mercado de trabalho, temos que investir em atualização técnica.

    É preciso que o técnico esteja bem estruturado tanto no aspecto material como intelectual. O esforço pessoal de cada um é que certamente trará bons resultados na preparação profissional.

    O Instituto Padre Reus, além de contribuir para a construção dos conhecimentos necessários para a formação do aprendizado de seus alunos, quer fazer com que esses futuros profissionais da área técnica estejam preparados para resolver problemas quando chegarem à sua oficina ou se tiverem que sair para o atendimento na casa de um cliente.

    O conteúdo programático do Curso de Radiotécnico e Eletrônica do IPR é desenvolvido em grau crescente de dificuldade. No desenvolvimento do aprendizado, o aluno, além de instruir-se através dos fascículos de estudos e realizar exercícios de fixação e provas de acompanhamento, tem uma equipe de professores a sua disposição para orientá-lo durante os estudos.

    Nosso objetivo é despertar a criatividade do aluno, transmitir-lhe segurança e capacitá-lo para enfrentar os desafios. Para aproveitar ao máximo o tempo disponível para o desenvolvimento do seu potencial, elaboramos várias práticas pedagógicas – montagem de kits eletrônicos – procurando estimular a sua criatividade.

    Acreditamos que como mão-de-obra qualificada, os alunos ao se formarem irão permanecer competitivos no mercado de trabalho, obtendo assim, mais respeito, credibilidade e opções de trabalho.

    Para conhecer melhor nossa Instituição de Ensino e conferir as diversas oportunidades profissionais que o IPR oferece, fica nosso convite para que acesse nossa página na internet: http://www.institutopadrereus.com

    Um abraço, e conte sempre com o Instituto Padre Reus.

    Prof. Mário Limeira
    Coordenador do Departamento Técnico

  15. avatar maxwell santos disse:

    ola! sou estudante do curso radiotecnico e eletronica, estou com problemas em um amplificador de audio com potencia de 400w q apresenta ruidos como se estivesse em curto e sem som. qual a causa provavel? o q faço s o problema for nos transistores de saida? obrigado

  16. avatar Departamento Técnico disse:

    Prezado Maxwell,

    Os amplificadores de um modo geral amplificam ruídos externos quando não há nada conectado em suas saídas. Outros ruídos, quando se está usando o aparelho, por exemplo, pode ser causado por filtragem deficiente. Nesse caso você deve verificar todos os capacitores de filtro que ficam ao redor da saída de som.

    Se o ruído aparece quando o amplificador é ligado e não importa o que você faça esse ruído não desaparece, pode ser um caso de saída de som em curto. O ruído causado por esse tipo de defeito é muito alto.

    Para verificar se realmente é uma saída em curto, retire todo o volume deixe em zero ou aperte o mute, se o ruído permanecer, a saída de som está em curto e deve ser substituída.

    Se o seu amplificador usa transistores de potência para amplificar, você pode fazer o teste entre seus terminais, com um multímetro analógico. Para isso, retire o componente do circuito e meça-o.

    Outro teste que você pode fazer, com o aparelho desligado da rede elétrica: retire a saída de som do circuito e ligue o aparelho, se o ruído parar, esse componente que você retirou deve ser substituído, caso contrário, recoloque o componente que você retirou e retire o próximo componente de saída de som.

    Normalmente, retirando um componente do circuito, você consegue isolar o defeito, isso ajuda muito o técnico na hora da manutenção, pois podemos trabalhar com o circuito onde o defeito está.

    Toda manutenção na qual você puder isolar os defeitos, sem prejudicar o circuito, você pode isolar, assim você economiza tempo no diagnóstico.

    Um abraço, e conte sempre com o Instituto Padre Reus.

    Prof. Mário Limeira
    Coordenador do Departamento Técnico

  17. avatar Hóstio de Farias Neves disse:

    Este Sistema de busca de Defeito abordado Pelo Prof.Mário Limeira com certeza é ótimo pois eu usei durante 22 Anos pois como Técnico em Eletronica gostava de + de audio a té cheguei a montar alguns , e posso afirmar que com este método MAXWELLl SANTOS Vc terá Sucesso…

  18. avatar francisco das chagas pereira disse:

    aluno do curso de radio tecnico e eletronica ped asenha da coletania de esquemas defeitos e diagnosticos antonio martins rn

  19. avatar Departamento Técnico disse:

    Prezado Francisco:

    A senha do CD-ROM CEDD está na página 2 do livreto de instalação do programa.

    Para que a instalação seja efetuada com sucesso, você deve digitar a senha como ela aparece no livreto.

    Dependendo do sistema operacional que você estiver utilizando em seu computador, é necessário que seja desabilitado o controle de usuário no painel de controle.

    Se encontrar maiores dificuldades, entre em contato conoso!!

    Prof. Mário Limeira
    Coordenador do Departamento Técnico

  20. avatar segio disse:

    ola vçs que deus abençoe todo o departamento de engenharia de vçs ai estou presisando de um projeto de um inversor elevador de tensao de 12 para 220 v ou 110 v para projeto eletronica solar movimenar ventiladores bombas de calor trocadores de calor contruçao de reduçao de 220 para 110 e e quero um projeto de controlador de carga eu quero fazer um encontrei uns no yutube achei dificiu de fazer eu sei que tem um mais pratico de montar a fonte que vçs me mandarao otimo bem pratico diferente do que ta no cursoagora sou mecanico de caminhao gracas a deus pense , pois e isso que tou presisando fica com deus e ate mais

  21. avatar sergio disse:

    quero saber como ligo um led numa chave liga e desliga e ligado na rede de 220v tem varios aqui na internet mas, quero fazer a coisa certa pra nao pegar fogo ou explodir ao ligar

  22. avatar Ramon disse:

    olá sou aluno do ipr e tenho uma dúvida
    montei uma fonte com um transformador de 12+12 com uma ponte de
    4 diodos e um capacitor de 2200 uf
    na saida eu posso escolher 12 ou 24 volts
    mas eu quero diminuir a tensão para 6 volts como faço isso
    agradeço a resposta

  23. avatar Departamento Técnico disse:

    Olá Ramon,

    Há duas maneiras simples e eficazes para se fazer um regulador de tensão. A primeira é com um regulador de tensão propriamente dito, 7806. Esse componente recebe uma tensão maior em seu terminal “IN” (entrada), normalmente esse terminal é o da esquerda olhando o componente de frente, ou seja, com a nomenclatura do componente virada para você. E na saída, terminal “OUT”, do lado direito, você terá 6V regulados. O terminal do meio, no regulador, é o negativo.

    Um detalhe muito importante a ser observado ao se utilizar um regulador do tipo 7806 é a corrente máxima que ele pode suportar que é normalmente de 1A.

    A outra maneira de regular a tensão é via diodo zener, nesse caso, você necessita de um componente desses que tenha tensão Zener de 6V. Colocando o diodo Zener com o ânodo conectado ao negativo e o cátodo conectado ao positivo, você terá uma tensão na saída de 6V regulados.

    No caso da utilização de diodo zener para regular a tensão de saída, temos como vantagem a corrente que o componente suporta, pois escolhendo um bom componente com uma capacidade de dissipação de potência mais elevada, é possível obter maior corrente na saída da fonte sem danificar o componente regulador.

    Um abraço, e conte sempre com o Instituto Padre Reus.

    Prof. Mário Limeira
    Coordenador do Departamento Técnico

  24. avatar Jacks sp. disse:

    muito ÓTIMA a postagem. só para completar. a diferença de uma fonte linear de uma fonte chaveada é que a fonte linear trabalha em LAÇO ABERTO. em quanto a fonte chaveada trabalha em LAÇO FECHADO. laço aberto NÃO controla o que a carga necessita. em quanto que em LAÇO FECHADO CONTROLA o que a carga necessita. em laço fechado o oscilador do circuito integrado PWM, controla o ciclo de trabalho da onda quadrada em alta frequência produzido pelo transistor mosfet. a entrada do transistor mosfet recebe uma alta tensão sempre acima de 220 volts em corrente contínua, e distribui na sua saída uma corrente PULSANTE. essa corrente pulsante vai para o pino do primário do transformador de ferrite . transformador não trabalha com corrente contínua e sim alternada ou pulsante. o transformador de ferrite é ideal para alta frequência. por isso que a fonte chaveada tem as qualidades falada nesta postagem. vocês estão de PARABÉNS.

  25. avatar sergio luis disse:

    ola a todos estou com uma duvida num transformador do meu umidificador nao tenho a certeza que ele esta queimado ele tem a ligaçao da rede 220v e a saida dele e azu preto e vermelho coloquei na escala x10 vemelho e no final do vermelho nao se mexeu e esse teste mesmo pra saber se queimou

  26. avatar Fernando Lima disse:

    Desculpe a ignorancia se faço uma pergunta simploria para os senhores. Mas, comprei uma fonte chaveada de 15V para alimentar uma camera de video, e para minha surpresa não tem indicação do negativo e positivo. Gostaria de saber se com um multimetro posso fazer algum teste para a identificação?

    Grato.

    Fernando Lima

  27. avatar Departamento Técnico disse:

    Olá Fernando,

    Para medirmos uma tensão é necessário que conectemos as pontas de prova em paralelo com o ponto a ser medido.

    Portanto, tanto o multímetro analógico como o digital, as medidas devem ser feitas com critério e em nenhuma hipótese devem ser encostadas as mãos ou qualquer parte do corpo em nenhuma ponta de prova ou parte metálica durante a medida.

    Geralmente, apenas um borne é comum, os outros bornes servem para medição de tensão, resistência e corrente, observe a indicação dos bornes que sempre mostram para qual grandeza ou escala ele pode ser usado, tenha em mente os parâmetros a seguir:

    O borne comum, normalmente é indicado por COM, e é onde deve estar sempre ligada a ponta de prova preta. O borne indicado por V/Ohms/mA é onde deve estar conectada a ponta de prova vermelha para a medição de tensão (contínua ou alternada), resistência e corrente na ordem de miliampères.

    É importante observar que, no caso particular de tensão continua (VDC, VCC ou DCV), a leitura no multímetro fornece uma medida da diferença de potencial entre as ponteiras vermelha e preta.

    Assim como todas as fontes lineares de corrente continua, as fontes chaveadas AC/DC têm os dois polos que se referem à tensão de alimentação e suas referidas polaridades: (+) positivo e (-) negativo. Para a identificação da polaridade dos terminais, você pode utilizar um multímetro com a chave seletora posicionada para VDC.

    Coloque a ponteira positiva do multímetro em dos bornes da fonte e a ponteira preta no outro borne. No seu caso, coloque o multímetro na escala dos 20VDC ou mais e ligue a fonte de alimentação.

    Se o multímetro for analógico confira o sentido de deflexão do ponteiro do instrumento, que deverá ser do zero para um valor aproximado no centro da escala. Se o ponteiro tenta deflexionar no sentido contrário, inverta as ponteiras. A polaridade dos bornes de saída de tensão da fonte acompanha as da ponteira (vermelha positiva preta negativa).

    Se o instrumento for digital, e aparecer um sinal de menos (sinal negativo) antes do número no display representa que a ponteira positiva esta ligada no borne negativo da fonte ou vice-versa. Neste caso inverta as ponteiras.

    Um abraço, e conte sempre com o Instituto Padre Reus.

    Prof. Mário Limeira

    Coordenador do Departamento Técnico

  28. avatar jose carlos disse:

    eu preciso do esquema da fonte da tv lcd 32 lg

  29. avatar klebson disse:

    Bom eu ainda prefiro o sistema de fonte LINEAR, por que eu trabalho com equipamentos de alta potencia como amplificadores, e uma das situações no esquema já que a fonte chaveada não tem vantagem é a AMPERAGEM pois ela só trabalha com eletronicos de baixo consumo.
    Resumindo aconselho a todos montarem a fonte LINEAR
    com eeção de computadores é claro.

  30. avatar Francisco do Rosàrio disse:

    Caros professores gostei muito das respostas que foram dadas aos alunos e nâo alunos do curso de rádio e eletrônica desta instituiçõa de ensino,pois quase todas as perguntas foram respondidas de maneira coerente e com muita boa vontade por parte dos professores, meus parabens e continuem com esta prestimozidade. Atenciosamente Francisco do Rosário

  31. avatar taylor disse:

    gostei

  32. avatar taylor disse:

    eu achei que este artigo foi muito bem escrito

  33. avatar Raynê disse:

    Olá parabens pelo Blog muito bom mesmo. Queria a ajuda do IPR pq eu queria montar uma fonte AC/DC para uma caixinha de som dessas chinesa que ler pendrive, cartão SD, eu queria muito ligar ela na tomada pra ouvir direto. tentei com um carregador de celular mas só dá pra ouvir baixo, quando aumento o volume a mesma desliga. já desisti do carregador pq fiz isso com outra que eu tive e o carregador queimou e a caixinha tbm, a única coisa que “escapou” foi os Leds dela. o micro da placa ficou com um buraco no meio. será que um transformador dava certo pra eu aumentar o volume sem ela desligar?

  34. avatar Departamento Técnico disse:

    Olá Raynê,

    É possível sim montar uma fonte para sua caixinha, mas desde que você saiba a tensão e a corrente que a mesma utilizará durante o seu funcionamento.

    Normalmente essas caixas utilizam baterias de lítio, pois têm maior capacidade de corrente e, por esse motivo, duram mais tempo em funcionamento.

    Por outro lado, a tensão dessas baterias é baixa, geralmente cerca de 3,7V, mas isso depende, também, de quantas baterias, como essa o aparelho utiliza.

    O primeiro passo, antes de montar sua fonte de alimentação, como dito anteriormente, é verificar de quantos volts é a bateria, a corrente da mesma e se são mais de uma. Se for, observar se estão em série ou em paralelo. Tendo como base essas informações o restante da montagem é simples.

    Carregadores de celular normalmente possuem tensão de 5V ou mais, dependendo das características do aparelho, e a corrente é muito baixa, da ordem de mili àmpere, ou seja, para fazer sua caixa funcionar.

    No projeto, você deverá levar em consideração essas duas grandezas, pois são elas que determinarão o correto funcionamento de sua caixa de som.

    Um abraço,

    Prof. Mário Limeira
    Coordenador do Departamento Técnico
    Instituto Padre Reus

  35. avatar josenildo disse:

    Queria saber quais os componentes que tem no circuito de controle da fonte linear. Obrigado!!

  36. avatar Departamento Técnico disse:

    Olá Josenildo,

    Achamos a sua solicitação de esclarecimento sobre Fonte Linear bastante interessante. Como o assunto certamente esclarecerá a dúvida de outros companheiros que também se interessam por eletrônica, optamos em postar um texto sobre “Fonte Linear”.

    Portanto, a resposta à sua postagem você encontra dentro do Blog de Radiotécnico na categoria “Fonte de Alimentação”.

    Um abraço e conte sempre com o Instituto Padre Reus.

    Prof. Mário Limeira
    Coordenador do Departamento Técnico
    Instituto Padre Reus

  37. avatar paulo roberto disse:

    ola pessoal gostaria de tirar três duvidas 1- a tensão reversa em um diodo retificador e muito baixa ou alta 2- a região de funcionamento do diodo zener e na região linear , tensão direta, do diodo ou na região de tensão reversa do diodo 3-a tensão em um diodo ideal conduzindo chaveado e zero volt ou 0,7 volt. desde já agradeço

  38. avatar Departamento Técnico disse:

    Olá Paulo,

    O diodo retificador, quando polarizado diretamente com uma tensão superior a 0,7V, funciona como uma chave fechada e então o componente conduz corrente elétrica do ânodo para cátodo. Se polarizado inversamente, o diodo funciona como uma chave aberta, ou seja, o componente não conduz.

    Ao ser aplicada uma tensão alternada num diodo retificador, quando no semiciclo positivo, o ânodo será polarizado diretamente e, no cátodo, teremos uma tensão pulsante positiva (+B). Por outro lado, no semiciclo negativo esse mesmo diodo receberá uma polarização reversa (invertida) e, portanto, não conduzira.

    Observa-se, então, que num circuito retificador de tensão de meia onda, ter ou não um valor de tensão na sua saída, dependerá da posição do diodo em relação ao semiciclo aplicado à entrada. Além disso, quando o diodo conduz no semiciclo positivo da corrente alternada, ou seja, do ânodo para o cátodo, a tensão sobre o componente é praticamente zero. Temos apenas a tensão de 0,7V necessária para seja vencida a barreira de depleção existente em toda a junção PN. Por outro lado, quando aplicado o semiciclo negativo da tensão alternada, nessa mesma configuração, o valor da tensão no ânodo do diodo é máxima negativa, pois nesse caso, o componente está em corte. Por isso é que devemos prestar atenção ao substituir um diodo e ver, se nas características, se a tensão reversa do diodo substituto é compatível com a do original.

    Esse mesmo fato pode ser evidenciado na configuração oposta, ou seja, de cátodo para ânodo, quando o componente conduz somente no semiciclo negativo da tensão alternada. Com o diodo colocado invertido em relação à situação anterior, ou seja, de modo que o cátodo é que seja polarizado pela tensão alternada, o componente somente conduzirá nos semiciclos negativos da tensão alternada e teremos, então, uma tensão pulsante negativa (-B).

    Em um circuito retificador de onda completa esse tipo de problema já não acontece. Sempre teremos dois diodos, cuja disposição permita que ora um dos diodos funcione no semiciclo positivo, ora o outro no semiciclo negativo. Desse modo, na saída do retificador sempre haverá tensão. E após ser filtrada por um capacitor, torna-se linear.

    O diodo zener é um componente especial que permite uma tensão reversa entre seus terminais. Isso acontece quando a tensão aplicada ao cátodo é maior que a “tensão zener”. Nesse caso, o componente conduz de cátodo para ânodo, estabilizando a tensão no valor do zener. Por exemplo, se tivermos uma fonte de tensão de 10V e quisermos que na saída haja uma tensão de 8,2V, colocamos um diodo zener no circuito polarizado inversamente. No entanto, essa montagem, não permite correntes muito elevadas e por isso deve-se observar a corrente máxima que o zener suporta.

    Como o diodo zener não é um retificador, esse componente deve ser colocado no circuito após a retificação e filtragem da fonte, para que a fonte possa conduzir maior corrente. Dependendo do transformador utilizado, normalmente se coloca um transistor de potência no circuito.

    Um abraço e conte sempre com o Instituto Padre Reus.

    Prof. Mário Limeira
    Coordenador do Departamento Técnico
    Instituto Padre Reus

AVISO: Todos comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Instituto Padre Reus. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou que violem direitos de terceiros. O Instituto Padre Reus poderá excluir, sem aviso prévio, comentários postados que não respeitem os critérios aqui impostos ou que estejam fora do tema proposto.

Deixe um comentário