Tipos de memória

24 de junho de 2016

O conceito de memória é único, extensivo e válido para qualquer marca e modelo; por esse motivo, é necessário conhecer o básico sobre esse item.

Ao se manusear o teclado do painel da TV ou o controle remoto, pressionando alguma das teclas, certamente ela irá liberar dados armazenados na memória flash do Micon. Nesse momento, o software armazenado nas memórias NVM, DDR, EEPROM e flash vai atuar para atender os comandos realizados pelo usuário.

No caso de dados temporários, o Micon utiliza um banco de memórias RAM, que são voláteis.

Os circuitos de um televisor possuem diversos tipos de memórias, classificadas de acordo com sua estrutura. Vejamos os tipos de memórias empregadas na televisão:

Memórias RAM, ROM, SDRAM, flash, NVM, DDR, serial flash, nand flash e memória EEPROM. Algumas estão dentro do micro e outras estão fora dele.

Memória RAM: Permite leitura e escrita, porém seus dados são perdidos sempre que o power é desligado.

Memória ROM: Permite apenas leitura, porém não perde os dados quando o circuito power é desligado.

Memória SDRAM: É uma memória RAM estática, mais rápida que a dinâmica.

Memória flash ROM: É uma memória de leitura e escrita muito veloz, que permite a sua programação via software apenas uma vez.

Memória EEPROM: Também chamada de E2PRO, é uma memória que pode ser apagada e escrita eletricamente. Essa memória é responsável por armazenar os dados do último canal sintonizado e os ajustes técnicos do receptor (16Kbit).

Memória NVM: É uma memória não volátil e também flash (1Mbit).

Memória: DDR – Utilizada também em PC, possui alta taxa de dados e alta velocidade (1Gbit).

Memória serial flash – Esta memória armazena dados por um longo período de tempo, sem alimentação (1Gbit).

Memória nand flash: Armazena dados de forma semelhante ao serial flash, com porta lógica nand (4Gbit).

CONEXÃO HDMI

11 de maio de 2016

Uma conexão HDMI pode usar dois tipos de conector: tipo A, com 19 pinos; e tipo B, com 29 pinos. Este segundo é maior e permite o uso da configuração dual link, que dobra a taxa de transferência máxima possível. Ou seja, com o conector tipo A é possível o uso de um clock de pixel de até 165MHz, e, com o conector tipo B, é possível obter uma taxa de pixel de até 330MHz.

Dentro de um conector HDMI tipo A, de 19 pinos:

  • Os pinos de 1 a 9 carregam três canais de dados TMDS: três pinos por canal. Os canais TMDS incluem informações de áudio e vídeo, e cada canal tem linhas separadas para valores positivos (+) e negativos (-) e uma linha de blindagem de dados (data shield) – ou terra.
  • Os pinos de 10 a 12 carregam dados para o canal de clock TMDS, que ajuda a manter o sinal em sincronização. Assim como os canais de dados TMDS, este canal tem linhas separadas para valores positivos (+) e negativos (-) e uma linha de blindagem de dados (data shield) – ou terra.
  • O pino 13 carrega o canal CEC (consumer eletronic control - controle eletrônico do consumidor), usado para mandar dados de comando e controle aos dispositivos conectados.
  • O pino 14 é vago e está reservado para uso futuro. Nos cabos HDMI 1.4 com canal de internet, leva dados do HEC (ethernet eletronic control).
  • Os pinos 15 e 16, dedicados ao DDC (display data channel), são usados para comunicação de informação EDID (extended display identification channel – canal de identificação e exibição estendida) entre os dispositivos.
  • O pino 17 é linha de dado de terra (data shield) para os canais CEC (consumer eletronic control) e DDC (display data channel).
  • O pino 18 carrega uma alimentação de baixa voltagem (+5V).
  • O pino 19 é o plugue de detecção quente (hot plug detect), dedicado a monitorar eventos de fornecimento ou não fornecimento de tensão e conexão/desconexão. Nos cabos HDMI 1.4 com canal ethernet, leva uma linha de dado positiva (data +) do HEC.

 

 

A imagem mostra os pinos de um conector HDMI de 19 pinos.

Algumas conexões possuem ainda um par DDC (display data channel – canal de dados do display), um fio para CEC (consumer eletronic control – controle eletrônico do consumidor), um fio para o HPD (hot plug detect) e um fio para a alimentação de 5 volts.

 

 A imagem mostra as ligações dos pinos de um conector HDMI.

Já o conector DVI, que utiliza 29 pinos, é compatível com equipamentos antigos, oferecendo simultaneamente os sinais digital e analógico. Isso permite, por exemplo, que um usuário conecte um monitor analógico a uma placa de vídeo com saída DVI-I, utilizando um adaptador simples.

Assim, os pinos 8, C1, C2, C3, C4 e C5 são usados para transmitir o sinal analógico usado pelos monitores antigos, enquanto os demais transmitem o sinal digital, como você pode ver no diagrama.

Pin 1: TMDS data 2- Pin 2: TMDS data 2+ Pin 3: TMDS data 2/4 shield Pin 4: TMDS data 4-
Pin 5: TMDS data 4+ Pin 6: DDC clock Pin 7: DDC data Pin 8: analog vertical sync
Pin 9: TMDS data 1- Pin 10: TMDS data 1+ Pin 11: TMDS data 1/3 shield Pin 12: TMDS data 3-
Pin 13: TMDS data 3+ Pin 14: +5 V Pin 15: ground Pin 16: hot plug detect
Pin 17: TMDS data 0- Pin 18: TMDS data 0+ Pin 19: TMDS data 0/5 shield Pin 20: TMDS data 5-
Pin 21: TMDS data 5+ Pin 22: TMDS clock shield Pin 23: TMDS clock+ Pin 24: TMDS clock-
C1: analog red C2: analog green C 3: analog blue C4: analog horizontal sync
C5: analog ground      

Um abraço!

Conexão DVI

15 de abril de 2016

A maioria dos monitores LCD e dos projetores digitais de alta qualidade atualmente apresenta uma conexão DVI (Digital Video Interface). É um padrão de interface de vídeo criado para melhorar a qualidade dos dispositivos de vídeo digital, permitindo a transferência de dados multimídia (áudio e vídeo) não comprimidos e com elevada definição.

Considerados substitutos do padrão VGA, pois a tendência é a de que o padrão VGA caia em desuso, os conectores DVI proporcionam qualidade de imagem superior, pois as informações das imagens podem ser tratadas de maneira totalmente digital, o que não ocorre com o padrão VGA.

Por exemplo, quando um monitor LCD trabalha com conectores VGA, é preciso converter o sinal recebido para digital. Esse processo faz com que a qualidade da imagem diminua. Como o DVI trabalha diretamente com sinais digitais, não é necessário fazer a conversão, portanto, a qualidade da imagem é mantida. Por essa razão, a saída DVI é ótima para ser usada em monitores LCD, DVDs, TVs, entre outros.

Embora os conectores DVI sejam parecidos entre si, eles variam conforme o tipo do conector, como mostra a figura a seguir:

O cabo dos dispositivos que utilizam a tecnologia DVI é composto, basicamente, por quatro pares de fios trançados, sendo um par para cada cor primária (vermelho, verde e azul) e um para o sincronismo.

Para as conexões DVI-D e DVI-I, existem dois tipos de cabo, os de single link e os de dual link, que utilizam um formato para transmissão de informações digitais chamado TMDS (Transition Minimized Differential Signaling).

Os canais TMDS servem para proteger a transmissão de dados, efetuando-a de forma codificada. Eles transmitem o sinal duplicado, contudo o segundo sinal é invertido. Quando o dispositivo receptor recebe os sinais, ele faz uma comparação, e as diferenças encontradas fazem com que ele identifique alterações (ruídos de transmissão) e possa descartá-las.

a) DVI-A: é um tipo que utiliza sinal analógico, porém oferece qualidade de imagem superior ao padrão VGA. Sua configuração é conhecida por 12 + 5 pinos. É fácil de identificar porque apresenta 2 pinos acima e 2 pinos abaixo do pino longo e ainda tem vários pinos “faltando”.

b) DVI-D (single link): é um tipo similar ao DVI-A, mas suporta somente sinal digital. Os cabos DVI-D são usados na conexão digital direta entre a placa de vídeo e o monitor LCD digital (ou raramente CRT). Proporciona transição de imagens mais rápida e de alta qualidade, pois suporta a maioria das resoluções e frequências comuns. Configurado com 8 + 1 pinos, é facilmente identificado porque é composto por três “fileiras”, sendo que faltam seis pinos das duas colunas do centro.

c) DVI-I (single link): esse padrão consegue trabalhar tanto com DVI-A como com DVI-D. É o tipo mais encontrado atualmente. Sua configuração é de 8 + 5 pinos e suporta tanto sinal digital como analógico. Também se identifica por ser composto de três “fileiras” contendo a mesma falta dos seis pinos das duas colunas centrais, porém possui 2 pinos acima e 2 pinos abaixo do pino longo.

Enquanto o “single link” usa um TMDS transmissor de sinal digital e 4 fios, a interface DVI “dual link” usa dois canais TMDS transmissores de sinal digital e 8 fios para enviar os dados. Dessa forma, torna-se possível ao dual link DVI efetivamente dobrar o poder de transmissão e fornecer um aumento de taxas de atualização e qualidade do sinal. Assim, enquanto um único link de 60 Hz LCD DVI pode exibir uma resolução de 1920 x 1200, um DVI dual link de 60 Hz LCD pode exibir uma resolução de 2560 x 1600. Nesse caso, mais pinos e os fios no cabo proporcionam mais largura de banda.

d) DVI-D (dual link): Geralmente é usado para conectar a saída DVI-D do computador a um vídeo DVI. O DVI-D conecta tanto o padrão analógico quanto digital, conforme seu monitor de vídeo. Configurado com 24 + 1 pinos, é facilmente identificado porque é composto por três “fileiras” de 8 pinos e 1pino longo.

Os cabos DVI-D são usados na conexão digital direta entre a placa de vídeo e o monitor LCD digital (ou raramente CRT). Proporciona transição de imagens mais rápida e de alta qualidade, se comparada à imagem analógica, devido à origem digitalizada da imagem. Todas as placas produzem um sinal inicialmente de vídeo digital, o qual é convertido em analógico na porta de saída VGA. O sinal analógico vai até o monitor e é reconvertido em sinal digital. O DVI-D elimina o processo de conversão analógico e otimiza a conexão entre a placa e o monitor.

e) DVI-I (dual link): Configurado com 24 + 5 pinos, é composto por três “fileiras” de 8 pinos, 1pino longo, 2 pinos acima e 2 pinos abaixo do pino longo; suporta sinal digital e analógico, mas em resoluções e frequências maiores que o DVI-I single link.

O pino chato longo em um conector DVI-I é maior do que o mesmo pino em um conector DVI-D.

Um abraço